10.1.10

"klimt"



ah, como deve ser bom estar com uma mulher

semi nua, de cabelos cheios, muito magra,

e que todos chamam de “a sua mulher”, e ela

de repente tira o roupão, e já não há mais nada

entre ela e a história, mas você grita, a rejeita

com solenidade, com certa rudeza, é verdade,

ela se aproxima, no entanto, felina, ela põe

os pés na braguilha do pintor, e ele apenas tira

o pé dela de lá, ela é linda contrariada, magra,

e não satisfeito o pintor diz: “com você não”,

pois haverá um encontro secreto mais tarde

com uma modelo francesa, também magra,

e ela estará esperando por você totalmente nua,

num quarto de hotel onde você poderá pintá-la

de quantas formas o uísque lhe permitirá pincel,

e o retrato ficará tão sensual, tão colorido que

você terá a vontade de, sem força, deflorá-la

e ela aceitará isso como prova de amor à arte,

e, em casa, a mulher que chamam de sua estará

ainda disposta a recebê-lo, como aquele soldado

que volta da guerra complicada, e a única prova

de amor que ela lhe pedirá é que lhe conte tudo.

2 comentários:

Mariana Botelho disse...

muito bom mesmo, moço.

Marília disse...

o garo que não é pérola!!!
lindo demais. bjs. MM