29.12.06

“três vezes nada mais um você”

você
matéria sem rumo
que sendo mulher
foi minha contra
concepção anárquica,
vergonha escondida
nas olarias venosas.
você
meu fim de estação
cuja flora intacta
reluz em meus erros
como seduz meu fim
a sede entre cismas,
a marcha dos cactos.
você
primeiro pigarro,
que apaga o cigarro
ciente do método
de dizer eu te amo
como em baforadas:
você minha fumaça,
você?

3 comentários:

ju disse...

você, dói.


um beijo mineiro.

Gi disse...

Bom dia Marona, vim te desejar um ótimo Ano Novo. Se a Ju pintar por aí, cuida dela direito hem??? Tenta não deixar ela ir pra Bahia com um bando de gringos bêbados de sombrero!!! Beijos pra ti, mon ami!

Je suis Carole disse...

Caralho. Estou chorando em preto e branco...

Um beijo fumê nos seu coração!