19.11.11

"o talento não pode esperar"

para Julia Mendes

mate minha saudade, ou então mate-me.

apareça desleixada, de calção de futebol,
sorriso e óculos, um doce Rimbaud de rua,
e tire-me da fila do supermercado.

quebre a minha prateleira de livros,
rasgue as minhas páginas,
cuspa com delicadeza as minhas convicções.

quero teus cabelos espetados no meu queixo
e um beijo roubado na loja de conveniência.

quero a pergunta dos teus olhos verdes,
com ou sem vinho, ser teu Baudelaire.

mas venha logo: o talento não pode esperar.

Um comentário:

Julia disse...

te amo, peixe. vou te ver. dia 09/12 estarei aí. tentarei ir antes tb.