9.12.08

"Algum dia você poderia?" (Maiakóvski)

Manchei o mapa quotidiano
jogando-lhe a tinta de um frasco
e mostrei oblíquas num prato
as maçãs do rosto do oceano.

Nas escamas de um peixe de estanho
li lábios novos chamando.

E você? Poderia
algum dia
por seu turno tocar um noturno
louco na flauta dos esgotos?

(1913, tradução de Haroldo de Campos)

Um comentário:

juba peixe disse...

sim, eu poderia.