5.2.08

“nascido em 1982”

nós viemos abortados
para recolher a culpa
de séculos não-vividos.

viemos encarnados,
faróis cegos, tulipas
ardentes, responder
pela dúvida com sangue.

encurralados seguimos,
se nos vêem, estamos,
se não, muda-se a pele,
veste a face outra roupa,
para seguirmos pálidos,
entre o susto e a epilepsia.

viemos hoje, ontem,
viemos antes, sempre,
estamos vindo ainda,
olhe para baixo e veja:
estamos nas dobras,
nossa cor carmesim,
chegue mais perto e toque
nosso fogo brando, e morra.

8 comentários:

julia disse...

to com ciume, to com raiva, é absurdo. poxa vida, por que que a gente morre todo dia..

voce sumiu, cara.

julia disse...

se eu pudesse apagar esse comentário eu apagaria

leonardo marona disse...

pois eu guardarei os dois. soube que vc esteve aqui, aparição...

peixe disse...

poxa leo, as pessoas tem roubado as pessoas de mim.

eu fui como uma idiota. e como mais idiota fiquei nessa bosta dessa solidão de não querer ver que as coisas nos decepcionam e os amigos e a falta de amigos.

cara, quero ser outra pessoa. quero começar essa merda de novo.

se cuida, beijo

Anônimo disse...

os anos estão te amadurecendo e te fazendo melhor...
bj. Mary

Ana Gabriela disse...

Fazia tempo que não lhe deixava um "oi" :P

Julia disse...

Muito bom, caríssimo.

WOOHOO!

bjs
J,

Anônimo disse...

Adoro sua fúria juvenil... me dá forças novamente. A parte boa é que não existe absolutamente nada de pejorativo no 'fúria juvenil'.