22.7.07

"buarqueana" ou "a mentira mais nova"

escuta a mentira mais nova
que brota
da boca pequena dos homens
e morre
no pus que a ferida dissolve
e foge
do bem que nos gera o lamento
há tempo
de amor já que é tempo de sono
eu sonho
com as notas de um hino fantasma
que engasga
meu peito toda vez que me esqueço
esqueço
e cada vez tenho menos sonhos
medonhos
em becos de sífilis e casas de ópio
um gole
de cana que te pago mais tarde
Buarque
escuta a mentira mais nova.

Um comentário:

cristiano fagundes disse...

Legal.
Quem é o maluco da foto, Jacques Cousteau?