13.2.07

"a pétala da vida"

para meu irmão Daniel Cruz


descascar a cor dos sinônimos,
repartir a fundura dos abismos
das coisas para atingir de revés
sua própria simultaneidade mista.

erramos sempre ao pensar
que a guerra diária, essa labuta
que nos esgoela sem esforço,
escolhe trincheiras e aliados.

todos explodimos no erro básico
de que a esperança exata distribuirá
com igualdade as doses cavalares
de mistério e inconstância.

e, mesmo vendo as ondas,
tão para sempre falhas e profundas,
persistimos em acertos desflorados
e colhemos espinhos com mãos desavisadas

do nosso amor e da nossa recusa.

2 comentários:

Mão Branca disse...

Oi, Leo. o site cronicas do dia acabou?

leonardo marona disse...

boa pergunta. faça lá a reivindicação para a editora, Cristina: cristina@patio.com.br

Grande abraço, e volte sempre.

Leo