9.4.06

“estuprador do tempo”

começa na infância:
amigos magros ensebados e feios.
outros gordos malqueridos e pálidos.
ele mesmo uma mistura e mais ainda.
ri-se de tudo porque é a única saída.

segue então pela adolescência:
chuva de hormônio, telhado de tristeza.
confidência a ninguém ao pé da loucura.
estranhos compassos em forma de pele.
chora-se por tudo porque rir já não serve.

eis que vem, voando, a juventude!
bolso cheio de alternativas estabelecidas.
vozes de dentro de um buraco medonho.
cobranças por um tempo que não existiu.
passos sem ritmo de uma dança perigosa.
ecos ocultos, vultos que encerram o peito.
matar ou morrer sem saber por mais quanto.
cogita-se mais nada pois as lágrimas secaram.

procurando uma lágrima, ou ponte alta,
pensa: Camus não fez a menor diferença.
olha para dentro, onde vê uma menina:
despe a menina e a possui com violência.

um pouco depois, durante o cigarro:
pergunta o nome da criança
(prazer, me chamo infância)
e vai preso por molestar o passado.

14 comentários:

Anônimo disse...

O pior dos estupradores são aqueles Voyeristas.

leonardo marona disse...

mas esses não estupram, esperam.

ricardo disse...

quem é esse anônimo voyeurista que escereveu errado voyeurista?

leonardo marona disse...

cheguei a uma conclusão: os blogs criam um novo tipo de psicopatia: os covardes desocupados. em muitos casos chegam a ser grosseiros e até histéricos, mas normalmente apenas não têm o que fazer e, como não têm o que fazer, se envergonham disso (erradamente, pois se uma pessoa não tem o que fazer e simplesmente admite isso, ela, pra mim é uma pessoa admirável) a ponto de não poderem usar seus próprios nomes.

Garota do outro lado da rua disse...

só agora li e gostei...

Anônimo disse...

Precisa! Inventam um ... vcs tbm são desocupados e acho que isso NÃO INCOMADA VCS ... como publicar um livro se vc ataca seus leitores como bando de abelhas com ferrão no CÚ!

Psicopata Descocupado disse...

Como ler um livro se voce, anonimo, nao conhece nem um ponto de interrogacao?

leonardo marona disse...

por favor, sem vaidade. isso aqui não é forum de discussão. aliás, não sei bem o que é. não afugento leitor nenhum, afinal, nenhum leitor se apresentou, apenas alguem que atende por anônimo, e eu ainda não falo com fantasmas, pelo menos não de dia. é cansativo ficar tentanto decifrar as pessoas. e um anônimo dificulta ainda esse trabalho, principalmente quando é enigmático. mas eu acho que te conheço. continue lendo, pelo menos enquanto eu não publico. me faria feliz, honestamente, sempre saber tua opinião, por mais que ela não seja a tua opinião, porque vc não é vc. ah, pelo tamanho dessa mensagem, tenho que te confessar: sou um desocupado. mas isso me incomoda, por isso não encho o saco de ninguem, eu tento, compreende?

mas, engraçado... nenhuma palavra sobre o texto. só ego, so far.

luiz disse...

como diria o nosso bukowski aí em baixo: essas pessoas não tem estilo. pra mim isso denota uma falta de conteúdo. quanto ao texto, ele me fez lembrar de um filme (seus texto sempre me fazem lembrar de um filme. porque será?) do eastwood: meninos e lobos. acho que é porque texto fala sobre a fatalidade e a inevitabilidade do futuro. também porque o nosso futuro nunca deixa de ser uma criancinha assustada tentando entender porque fizeram aquilo com ela. botam a criança no mundo e ela é jogada aos jacarés. depois ela entende que a sua sanidade, no futuro, depende do que os "jacarés" farão com ela. a única parte do texto que eu não gostei foi a citação ao camus.

leonardo marona disse...

po, cara, a única coisa que eu gostei (por que será?)...

Anônimo disse...

E qual é o seu estilo "luis" bukowski, eastwood, camus, autores e personagens que te anestesia nesse mundinho que te separa da realidade, que reforça a tua mesquinharia ao julgar que outros não tem estilo, o que te faz pensar isso, interrogação!Agora penso, será que vc gosta de DISTORCER OU de MANIPULAR que é DIFERENTE dos outros, de fato é, se prende a ilusão. "leo" thanks pelo psicopata desocupado mas foi eu ou vc que escreveu isso, interrogação!
Por isto daqui ser um sanatorio me sinto bem vindo e sempre que escrevo estimulo aos outros a pensarem tbm ...

leonardo marona disse...

gostei do que disse sobre o sanatório, ainda que não totalmente, pois preferia falar com alguem que pudesse chamar pelo nome. de qualquer forma esse jogo tem o seu interesse, porque é claro que se trata de uma pessoa próxima, que conhece os mundinhos onde tudo se esconde em nós, todos pobres infelizes desocupados enfadonhos solitários alienados que perdem tempo com palavras secas e duras mas no fundo querem desesperadamente se aproximar, sem saber como, então, nesse caso, a curiosidade ganha quase um caráter fetichista... é, talvez eu seja um psicopata... é melhor mesmo vc não se revelar.

mas gostaria que, sempre que se sentir confortável, você contribuisse para me fazer pensar tb. e queria saber tb o que achou do texto em si.

sincerelly,

L. Cohen

luiz disse...

num suporto gente afetada.

Anônimo disse...

É, nem eu, cansei.
Cohen, se para Camus é um absurdo os acontecimentos da vida e o absurdo é um desconforto ao pessimismo até a angustia e o desespero, realmente, "não faz a menor diferença" porque cria-se um estado de ablação sem ter como voltar. Concordo com a relação pois coloca peso e especificidade na vida desse personagem e dando dimensão a fragilidade de onde se quer chegar: absurdidade da vida. Ir preso por molestar o passado mas já não estava preso.