29.3.08

"o cativo"

nos dias frios
não ouço nada.
a noite passa,
estou sozinho
na madrugada.
e crio vozes
e limpo foices
pro meu alívio
de ouvir nada
além da noite.
e minhas vozes
inventam outras
e criam ouvidos
que ouvem nada
e todos juntos
se tornam frases
que não se amam
mas não se matam.

3 comentários:

Anônimo disse...

Bom pra Caralho. sem mais palavras

peixe disse...

mas o que mata não é amor

sei lá

Anônimo disse...

...que bom.