22.10.07

“a palavra”

eu apenas coloco a palavra
na cabeceira
e a verve diminui um pouco.

então vou sorvendo as poeiras
interessado pelos móveis
pelas esquinas de um pensamento torto
de uma alma não-falada.

esse tolo vaso de cerâmica sobre a mesa
esse tolo vaso em cacos na lembrança
e os limites do quebrar o vaso em cacos
para apenas colocar a palavra
na cabeceira.

Um comentário:

dani disse...

oi leo... você coloca a palavra na cabeceira e vai tudo junto atrás para a cabeceira, né?... sem muito sentido mesmo. li tua entrevista, tá ótima. já tá mais que na hora de você publicar, já passou da hora. saudades, beijos, dani