29.5.07

"peixe"

estava apenas contando
a história sofrida de Edgar Allan Poe.
ela ao meu lado ouvia, bocejava, dizia:
“Você está competindo com o som”.
tocava Bob Dylan, eu por isso dizia:
“nesse caso não há competição”.

na seqüência eu comecei
a ler a saudosa biografia
de Edgar Allan Poe.

em dois minutos uníssonos,
justo na parte em que ele tinha sido expulso
de Boston, ou do colégio onde seu salvador
e seu algoz o pôs, para criar William Wilson,
eu narrava histórias um tanto esclarecedoras
sobre este sujeito notável – era uma noite fria,
com certeza sentíamo-nos todos sozinhos,
como talvez tenha sido com William Wilson
ou com Edgar Allan Poe, ou Aline, ou eu.

Um comentário:

peixe disse...

ou um peixe fora dágua