13.9.06

“discutindo a relação”

não tenciono te assustar,
nem me assusta tua tensão.
quero ser o teu pulmão
e não a tua falta de ar.

a gente aprende pouco
sobre cada coisa a cada dia,
e não aprende um dia sobre
cada pouco a cada coisa.

primeiro precisamos não saber
o que sabemos para entender
o que nós não compreendemos.

não há porque temer outras bocas:
engula calmamente os silêncios
com tuas palavras sem língua.

2 comentários:

Garota do outro lado da rua disse...

se toda discussão de relação fosse assim... lindo!




Naira

Tereza disse...

ainda assim eu insisto
que me assusta a relação
quando ela é mais falta
do que ar...

eu aprendo muito contigo
mas desaprendo o que sempre soube
e descobrir a mentira
é desaprender quase tudo.

por isso insisto que me assusto.
quem me dera poder escolher não saber!

ainda assim eu temo
outras bocas, sua boca.
minhas palavras tem língua e elas sibilam...
você.