10.6.06

“atriz”

as palavras
se elas saem doloridas
é a tinta negra que sangra
as frases como feridas.
pouco me adiantam
as palavras floridas
que desabrocham no ar,
pétalas mortas no mofo
do armário.
prefiro dois dedos direitos
e uma intenção sinistra.
quero de ti
a palavra comida,
quero as palavras
pelos poros da página,
ou pelo meio da tua virilha.
quero enfim,
segundos antes das cortinas,
escrever aquilo que te cala.

3 comentários:

luiz disse...

do caralho leo!

Anônimo disse...

poeta! que buscas tu pescar com essa rede de palavras?

Dani Morreale disse...

3º baforada: Amei a crônica Sorte no amor.

E esse seu canto também. Voltarei mais e mais vezes.