22.4.06

“dorme a perna”


um tiro na boca
resolveria tudo.

é verdade que
tu me traíste?

a resposta é sim.

tal qual a meia verdade
dessa perna lisa prateada
minha mãe indescritível
horrível sombra sonora
que na realidade sem hora
deixaria no ópio do beijo
decote salgado de chumbo.

olhos tatuados em
bocas novamente.

pela vida escolhida
se acabaria velha
dentro da margem
passagem de espera.

se pensar sobre a vida
plena garganta morta
barganha de ilusões
morrerei pela música
não por falta de sorte.

acontece com muita gente
eu sou apenas um a mais.

mudo sem braços
fraudador de olhos.

Um comentário:

Kiron disse...

Você escreve bem!

Abraço!